Hôtel de Ville Hôtel de Ville

Hôtel de Ville

Rodeado a norte pela rua Rivoli e a sul pelo rio Sena, o Hôtel de Ville é um dos pulmões do 4.º “arrondissement” de Paris. Tendo assistido a diversas insurreições e revoltas ao longo dos séculos, o Hôtel de Ville foi frequentemente ponto de encontro de revolucionários. Desde Etienne Marcel às guerras da Fronda, da Revolução às jornadas revolucionárias de 1830 e de 1848, da Comuna de 1871 à Libertação de Paris em 1944, o Hôtel de Ville é um local carregado de história.

Um local político central

Desde 1357, quando Etienne Marcel comprou aquela que então se chamava a “casa dos pilares”, o Hôtel de Ville tem sido a sede das maiores instituições de Paris. De 1789 a 1794, aqui funcionou o Comité de Saúde Pública, sendo um dos pontos estratégicos da Revolução Francesa. É também do Hôtel de Ville que partem os grandes movimentos que se rebelam contra as instituições e as leis.

Durante os Três Gloriosos, durante o verão de 1830, a comissão municipal presidida pelo marquês de La Fayette instalou aqui o seu quartel-general. Quase 20 anos mais tarde, em 1848, a República foi proclamada a partir deste edifício por Lamartine. É ainda entre as paredes do Hôtel de Ville que se instala o comité central, durante o período revolucionário da Comuna, em 1871. A revolta contra o governo que havia sido eleito por sufrágio universal é uma reação contra a derrota francesa na guerra franco-prussiana de 1870 e à capitulação de Paris. Contudo, batidos pela ofensiva lançada pelo exército de Versalhes, os revolucionários socialistas abandonam o edifício antes de incendiá-lo, a 24 de maio de 1871. O palácio ficou reduzido a escombros, tendo-se perdido os seus arquivos e a biblioteca.

A reconstrução após a Comuna

Desde agosto de 1871, o novo conselho municipal declara a sua intenção de reconstruir o Hôtel de Ville no mesmo local. Após um longo debate, entre aqueles que pretendiam o restauro simples e os que pretendiam a construção de algo novo, decidiu-se que a construção do novo palácio municipal seria submetida a concurso. O novo monumento teria de ser erguido sobre as fundações do antigo. A reconstrução foi levada a cabo entre 1874 e 1882, de acordo com os planos dos arquitetos Théodore Ballu e Edouard Deperthes. A fachada, em estilo Neorrenascença, inspira-se largamente na fachada do edifício antigo. A inauguração oficial do novo Hôtel de Ville teve lugar a 13 de julho de 1882, mas as pinturas decorativas das salas só foram concluídas em 1906. A grande diversidade dos artistas que trabalharam na decoração dá ao lugar um grande ecletismo, original mas não menos harmonioso. A fachada principal é ornamentada com grandes figuras da cidade de Paris: artistas, sábios, políticos, industriais… todos os que marcaram a história de Paris estão aí representados. Por sua vez, o frontão central inclui um relógio, no qual estão representadas as figuras do Trabalho e da Educação, bem como os rios Sena e Marne e a própria cidade de Paris.

Um edifício com várias funções

Durante o Segundo Império (1852-1870), o Hôtel de Ville, que passou a ser a sede da Câmara Municipal, recebia grandes festas, como aquando da visita da rainha Vitória da Grã-Bretanha e Irlanda. Após a sua reconstrução, o Hôtel de Ville continuou a acolher grandes festividades e celebrações oficiais. O edifício manteve sempre esta dupla vocação de local de poder, enquanto sede do poder local parisiense e local de prestígio para grandes eventos sociais. É, hoje em dia, o maior edifício municipal da Europa.

Actividades próximas

Descubra Paris

Paris oferece a seus visitantes diversas faces, de acordo com o local visitado e o momento do dia. Assim, existem inúmeras maneiras de contemplá-la e, outrossim, de amá-la.